Notícias

Veja vantagens que consumidores podem ter com Open Insurance

Sistema vai trazer para as transações de seguros a filosofia de dados compartilhados e poder na mão dos consumidores.

Da Redação
Márcio da Mata, Diretor Executivo do Grupo FCamara.

Márcio da Mata, Diretor Executivo do Grupo FCamara.

Na esteira do Open Finance, está em elaboração pela Superintendência de Seguros Privados (Susep),  órgão regulador do mercado de seguros no Brasil, o Open Insurance, que vai trazer para as transações de seguros e previdência a filosofia de dados compartilhados e poder de decisão na mão dos consumidores. 

Assim, as seguradoras, da mesma forma que as instituições financeiras no Open Banking, poderão aprimorar ofertas e personalizar produtos e serviços, o que aumenta a competitividade e traz uma melhoria no sistema todo, beneficiando diretamente os consumidores.

“Quando uma empresa começa a participar do Open Insurance, já pode ter acesso aos dados que as seguradoras compartilharam e, assim, fazer o comparativo de produtos, coberturas e clientes dos concorrentes. Com isso, pode planejar melhor o que vai oferecer. Os consumidores, por sua vez, vão encontrar um sistema mais simples e produtos mais acessíveis", esclarece Márcio da Mata, Diretor Executivo do Grupo FCamara, consultoria para transformação digital e soluções em tecnologia.

Márcio aponta as cinco principais vantagens que o Open Insurance pode trazer para os consumidores. Confira:

  • Personalização

O compartilhamento de dados dos clientes e das transações realizadas permitirá a personalização de serviços e produtos. "Não existirá mais um padrão das seguradoras. Elas terão que se adaptar e adequar suas propostas às necessidades de cada cliente e não da própria instituição", explica o executivo.

  • Agilidade e precisão

A integração dos ecossistemas Open Banking e Open Insurance tornará as operações mais ágeis e facilitadas, tanto para cumprir as determinações dos órgãos reguladores, quanto para oferecer melhores serviços.

  • Liberdade de escolha

Ao viajar, por exemplo, Márcio explica que será possível contratar o seguro-viagem em uma empresa, a assistência médica em outra e um seguro-bagagem em uma terceira. "O consumidor terá mais opções e muito mais liberdade para fazer suas contratações no formato que for mais conveniente, escolhendo cada item a ser contratado na empresa que oferecer o que for mais interessante para o seu bolso e suas necessidades".

  • Cidadania financeira

Com a integração de dados e serviços, a expectativa é que possam surgir no mercado aplicativos que facilitem ao consumidor controlar as próprias finanças e que popularizem e tornem mais acessíveis os serviços e produtos das seguradoras, promovendo uma maior "cidadania financeira".

  • Segurança de dados

A segurança de informações pessoais pode ser preocupante para quem está conhecendo as novas soluções do Open Finance, mas a Lei Geral de Proteção de Dados - LGPD estabelece meios para que as empresas que participarem do Open Insurance tenham um sistema seguro e eficiente para o compartilhamento de informações. "Os consumidores poderão se beneficiar das vantagens que o compartilhamento de dados proporciona, com segurança", enfatiza o diretor.