Notícias

Seis dicas de como proteger dados da empresa e dos seus clientes

Uma empresa que protege dados dos seus clientes gera credibilidade.

Da Redação

A captura de dados é o ponto de partida para gerar informações valiosas e claras para a tomada de decisões dentro de uma organização. Eles podem auxiliar a empresa a definir novos investimentos, corte de gastos, otimizar processos, entre outras operações. 

Mas para além da captação de dados para geração de negócios, uma empresa que protege dados dos seus clientes gera credibilidade.

"Hoje é impensável uma organização se desenvolver sem o uso de dados. E, entendendo a importância dessas informações surgiram leis regulatórias para sua proteção, principalmente de clientes. No entanto, informações geradas e armazenadas por terceiros e fornecedores também devem ser levados em consideração.. Como a sua empresa está trabalhando para proteger dados internos e dos clientes?", questiona João Drummond, CEO da Crawly, empresa especialista em automação.

Para ajudar corporações nesse processo, o especialista reuniu seis dicas valiosas para melhorar a proteção de dados na sua empresa:

1 - Contratar empresas sérias que fazem captação de dados para fins específicos e que não armazenam essas informações é essencial, pois isso garante a adequação dentro da LGPD. Se a empresa precisa saber uma informação para fornecer crédito a um cliente, por exemplo, não faz sentido pegar dados sobre os pais daquela pessoa (sim, isso acontece, por mais absurdo que pareça).

2 - No que diz respeito às empresas é preciso se questionar: quais dados são mais valiosos para a sua organização? Não seria possível acessar as fontes em tempo real para não precisar armazenar nada?

3 - Dados sensíveis como números de cartão de crédito ou de documentos importantes devem ser tratados com preocupação extra. Ao criptografar essas informações, garante-se que agentes externos não consigam ler os dados, mesmo que tenham conseguido chegar a eles.

4 - As empresas além de protegerem seus dados tem que proteger dados dos clientes para se adequar a lei LGPD. A maioria das empresas possuem um site, aplicativo, SaaS ou qualquer outra plataforma, logo, será necessária a elaboração dos termos de uso e políticas de privacidade em conformidade com a Lei. Os termos devem esclarecer o usuário a respeito do armazenamento dos dados e de suas respectivas finalidades, além de conter a autorização dos titulares (cláusula de consentimento) para manter os dados registrados e se os dados serão compartilhados com terceiros, informando quem terá acesso às informações.

5 - Invista em sistema de proteção de dados. Com certeza você já viu diversas versões de uma planilha com dados sensíveis espalhada entre setores da empresa. Isso é um exemplo claro do risco de vazamento de dados sensíveis que ferem a LGPD.

6 - O uso de backups já deve ser uma parte crucial da sua estratégia de segurança de TI desde o início da operação. Com os backups seguros, você pode sobreviver a tudo, desde a exclusão acidental de arquivos até o bloqueio completo de ransomware. Esse backup deve seguir o mesmo padrão de segurança dos anteriores.