Notícias

Especialista dá dicas para você escapar dos golpes na internet

Segundo um levantamento da Serasa Experian, um brasileiro sofre tentativa de fraude a cada oito segundos, via internet.

Da Redação
Posts assim você vê todos os dias em nossas redes sociais!

Posts assim você vê todos os dias em nossas redes sociais!

É cada vez mais comum a utilização da internet no dia a dia das pessoas. E, por isso, tem aumentado também o número de golpes na rede, chamados de cibercrimes.

Segundo um levantamento da Serasa Experian, um brasileiro sofre tentativa de fraude a cada oito segundos, via internet. 

FRAUDES - Em 2021, houve um aumento de 58% nas tentativas de fraudes em e-commerce, serviços financeiros e vendas no geral. Os dados são da empresa de tecnologia antifraude ClearSale. 

O estudo, chamado de Mapa da Fraude, fez um levantamento com mais de 375,5 milhões de transações, e a categoria com o maior índice de golpes foi a de celulares. 

O gerente de Prevenção a Fraudes do banco digital Letsbank, Bruno César, informa que os dias que antecederam o Dia das Mães com certeza registraram um grande número de fraudes cibernéticas.

PERDAS - Em datas assim, segundo ele, todo mundo sai perdendo, o banco, o empreendedor e o cliente. “Literalmente, todos acabam sendo prejudicados, direta ou indiretamente”, diz Bruno.

Ele explica que o Dia das Mães é um momento em que muita gente compra  virtualmente e possivelmente muitos foram impactados por um desses golpes.

“Datas comemorativas são excelentes oportunidades para os golpistas entrarem em ação. Eles percebem a fragilidade e a urgência das pessoas em comprar e receber o presente a tempo e se aproveitam disso”, destaca Bruno.

PANDEMIA - Segundo ele, houve aumento de golpes por meios digitais na pandemia. “Várias instituições migraram seus processos de meios físicos para meios digitais, e houve uma carência da população. Devido ao isolamento, ficamos mais suscetíveis a cometer erros que, talvez em um cenário de normalidade, não cometeríamos”.

O estelionatário conhece e estuda os perfis e sabe a maneira de ‘atacar’ a vítima”, analisa Bruno, que lista as fraudes mais comuns do momento: o golpe do Falso Brinde e do WhatsApp.

“No golpe do “Falso Brinde” os golpistas se passam por agentes de grandes empresas via WhatsApp alegando ter um brinde. Eles pedem os dados cadastrais, entregam o falso brinde no endereço e pedem uma selfie para comprovar a entrega. Porém, o que muitos não sabem é que essa selfie faz parte de um processo de instituições financeiras para liberação de empréstimos”, explica o especialista.

PARENTE - Já sobre o golpe do Whatsapp, ele detalha: “Eles se passam por parentes e amigos das vítimas, utilizando suas fotos, através de um número desconhecido de WhatsApp para solicitação de dinheiro via PIX, alegando vários problemas como ter excedido o limite de transação, bloqueio de aplicativo ou quebra do aparelho de telefone celular”.

Apesar desses golpes atingirem muito mais o consumidor, bancos e empresas estão se movimentando para mudar esse cenário. “As empresas devem reunir mais suas equipes gestoras de Prevenção a Fraudes para debater o tema, publicar conteúdos de conscientização e realizar investimentos robustos em tecnologia para prevenção de fraudes e golpes. Infelizmente, ainda temos um grande tabu nas organizações que não identificam uma estrutura focada em antifraude como investimento”, afirma Bruno César.

FIQUE ESPERTO - A empresa apoia a campanha #FiqueEsperto da Febraban, que tem como uma das metas conscientizar a Subcomissão de Prevenção a Fraudes. A iniciativa une governo e entidades privadas com o intuito de informar pessoas e empresas sobre como evitar golpes usuais do nosso novo mundo digital.

 

Veja dicas para evitar dor de cabeça

O gerente Bruno César dá algumas dicas para você evitar dor de cabeça nas suas compras on-line. 

Confira:

  • Tome muito cuidado com seus dados pessoais, e não os forneça para qualquer um que se identifique como instituição, empresa ou organização;
  •  

  • Quando procurado, se desconfiar que tenha algo errado, não prossiga com a ação e contate os canais oficiais das empresas para confirmar as solicitações;
  •  

  • Se procurado por WhatsApp por algum número desconhecido, mesmo que com uma fotografia que lhe seja familiar, tente contatar a pessoa através de meios que conheça (telefone, e-mail, redes sociais) para realmente se certificar que, de fato, não se trata de golpe;
  •  

  • Em compras em e-commerce, priorize os sites de empresas conceituadas. Se optar por marcas que não sejam conhecidas, sempre busque consultar a sua reputação;
  •  

  • Evite entrar em seus aplicativos bancários a partir de redes públicas, procure realizar suas transações a partir de redes próprias ou conhecidas;
  •  

  • Cuidado ao utilizar o telefone celular enquanto estiverem em trânsito, seja em seu carro, transporte público ou até mesmo a pé;
  •  

  • Quando “ganhar” um brinde, verifique nos canais de atendimento da empresa se realmente existe alguma campanha para premiar/contemplar clientes com brindes ou descontos;
  •  

  • Não tire fotos e selfies a partir do celular de terceiros, seja por qualquer motivo. Se for e/ou precisar realizar onboarding em alguma instituição, faça sempre de seu telefone, utilizando redes conhecidas;
  •  

  • Utilize senhas fortes, com mais de 10 caracteres e alternando letras maiúsculas, minúsculas, números e caracteres especiais em seus aplicativos, seja de bancos ou de qualquer outra prestação de serviços, como redes sociais e e-mails. Evite utilizar datas de nascimento e colocar a mesma senha em vários acessos.