Notícias

Veja dicas de cuidados com seu carro no inverno

Dentre os principais problemas, está os que ocorrem com a bateria

Da Redação
Inverno rigoroso pode trazer problemas para o seu carro.

Inverno rigoroso pode trazer problemas para o seu carro.

Há quem goste do inverno e quem odeie. Mas quem é proprietário de um automóvel - goste ou não do inverno - precisa saber que é preciso dar uma atenção a mais para o carango nesta época do ano. Há muitos itens e componentes que requerem cuidados, por causa das baixas temperaturas.

O gerente da Mega Concept Centro Automotivo, de Curitiba, Marquesson Deola, diz que, dentre os itens que costumam apresentar problemas no inverno, um deles é a bateria. A oficina costuma registrar um aumento de 20% na troca, em comparação com outras épocas do ano.

Segundo Deola, que é conhecido por Jiló, essas falhas na bateria têm origem ainda no verão, quando há o desgaste gerado pelas altas temperaturas. “O clima frio apenas agrava o estado, por conta do aumento da densidade dos componentes líquidos”, afirma.

Algumas medidas podem ajudar o motorista a contornar esses problemas com a bateria. Uma das dicas é fazer, periodicamente, um teste funcional para identificar a vida útil e avaliar se o alternador está realizando a recarga corretamente. “Este teste é rápido e pode ser feito por um profissional especializado, pois problemas no alternador são as principais causas de panes elétricas dos veículos em trânsito; por isso a necessidade de fazer revisões periódicas”, destaca.

Antes de dar a partida no veículo, orienta, você deve se certificar de que todos os equipamentos elétricos estejam desligados, como o rádio e o ar condicionado. Após dar a partida, permaneça pelo menos 15 minutos com o veículo ligado. “Este tempo, em média, é suficiente para que o alternador reponha a carga total que a bateria perdeu ao fornecer energia na partida”, explica.

Outra dica de especialistas é bem apropriada para este período de pandemia, quando muitos estão com os carros na garagem. No inverno aumenta a necessidade de ligar o veículo periodicamente - se não for utilizá-lo - deixando-o em funcionamento por pelo menos 30 minutos. Isso irá aquecer e colocar em funcionamento vários componentes. 

Mas de quanto em quanto tempo isso deve ser feito? É muito variável. Você pode fazer isso uma vez por semana, uma vez por mês ou até depois de alguns meses. “Um amigo meu viajou e deixou o carro parado por quase um ano. Deu a partida e o carro pegou de primeira. Mas o ideal é que os proprietários não demorem tanto tempo assim para ligar o carro, se tiverem condições de fazê-lo, pois podem evitar problemas”, observa Jiló.

O gerente diz ainda que a calibragem dos pneus é muito importante nesta época do ano. Eles sugerem que você faça isso pelo menos uma vez por semana e, no posto, coloque de duas a três libras a mais de pressão do que recomenda o manual, principalmente se o veículos forem continuar por mais tempo parado.

Outra dica de Jiló é para deixar uma fresta nos vidros, para não causar bolor em determinados pontos do veículo. Uma sugestão é colocar sachês específicos para tirar umidade em alguns pontos internos e também no porta-malas. “Uns dois ou três já ajuda bastante”, afirma.

Um outro ponto a observar é a quantidade de combustível a deixar no automóvel, se for ficar muito tempo parado. Este é um ponto que não há muito consenso entre os especialistas. Alguns dizem para deixar o tanque cheio e outros orientam para deixar com o mínimo. “Se deixar pouco combustível, procure utilizar um aditivo”, diz.

Veja outros itens a serem observados:

Reservatório de gasolina -  Em motores flex, que funcionam tanto com álcool quanto com gasolina, há um reservatório de gasolina que influencia na partida do carro. Com ele vazio ou pouco combustível, o carro pode demorar a ligar numa manhã muito fria ou em casos que ele ficou alguns dias parado. É importante sempre mantê-lo abastecido e com gasolina aditivada.

Palhetas de limpeza do para-brisa - Como são feitas de borracha, as palhetas ressecam com mais facilidade por conta do tempo frio. O ressecamento influencia diretamente na limpeza dos vidros, podendo causar riscos e sujeiras. A troca das palhetas deve ser realizada de três em três meses, normalmente. Consulte o fabricante para saber se o período não é diferente.

Reservatório de água do para-brisa - A neblina dos tempos frios carrega muita sujeira para o carro no inverno. E, por isso, é muito importante estar com o reservatório de água sempre cheio, de preferência misturado com algum detergente próprio, que auxilia em uma limpeza mais eficiente.

Velas de ignição - Outro cuidado que o motorista deve ter com o veículo no frio é com as velas de ignição. Se o carro não pegar na primeira tentativa, não se recomenda que continue tentando, pois a ação pode causar encharcamento das velas. O mais recomendado, nesses casos, é desligar o carro e aguardar um tempo, até que o combustível evapore por completo. Se o carro não pegar, talvez seja necessária uma visita ao mecânico.

Ar-condicionado - O ar-condicionado de seu automóvel deve ser ligado pelo menos por uns 15 minutos por semana, em média. Além de evitar a proliferação de bactérias, esse cuidado faz com que todos os componentes do sistema permaneçam lubrificados, o que reduz o risco de rachaduras e vazamentos nas mangueiras, nos vedadores e nos selos de borracha.