Notícias

Seguradoras começam a ofertar o produto de diversas formas

Somente neste início de mês de junho, duas outras comunicaram ao mercado o início da oferta dos produtos pay per use

Da Redação
Poucas seguradoras ainda ofertam o seguro por tempo reduzido, pay per use.

Poucas seguradoras ainda ofertam o seguro por tempo reduzido, pay per use.

Algumas seguradoras já ofertam os seguros de vigência reduzida e intermitente. A Generali, em parceria com a insurtech Thinkseg, é uma delas. A companhia, que anunciou recentemente ao mercado que deixou de operar com o seguro automóvel tradicional, agora tem o seguro sob demanda como foco central. A exemplo dela, outras começaram a trilhar este caminho.
 
Somente neste início de mês de junho, duas outras comunicaram ao mercado o início da oferta dos produtos pay per use (pago por uso). A Argo lançou o "Instant", com proteção por perda total por acidente. O produto permite a contratação exclusivamente pelo uso e sob demanda, diferentemente do que acontece nas apólices tradicionais.
 
“Nosso foco são os veículos com valor de mercado até 30 mil reais e que ainda não tem seguro por conta do preço. Como o Instant é um produto ‘pay per use’ (pago por uso), seu custo é mais baixo se comparado a um seguro auto tradicional”, diz Newton Queiroz, CEO e presidente da companhia.
 
A contratação será feita por meio de corretor de seguros, que vai cadastrar o cliente em um aplicativo desenvolvido para funcionar como uma carteira digital, onde será possível acessar os créditos, ativar o período de cobertura, obter dados da apólice e pontos de contato.
 
“Antes de viajar, o cliente vai acionar o seguro através do app, indicando seu ponto de partida e o destino. O seguro cobrirá todo o trajeto, ou seja, a estrada ou rodovia, além de parte do perímetro urbano por 24 horas", explica Bruno Porte, diretor de Operações e TI da empresa.
 
“O Instant é um modelo de seguro inovador e disruptivo. Ele é o primeiro de vários outros que vamos oferecer com esse mesmo conceito. Queremos popularizar a cultura do seguro, levando proteção para pessoas de todas as classes sociais, já que elas pagarão apenas pelo o que usar, tornando todo processo o mais justo possível”, ressalta Queiroz.
 
A Sura é outra companhia que já oferta o produto. Para viabilizar este modelo e disponibilizá-lo para o mercado brasileiro, a empresa firmou uma parceria com a Trov. “Encontramos na Trov a expertise necessária e especializada para oferecer uma experiência diferenciada para o consumidor, com plataforma flexível, de fácil navegação e integração que nos permite pensar na escalabilidade do negócio”, afirma Thomas Batt, CEO da seguradora.
 
Outro ponto identificado pela Sura, em pesquisas e observação do mercado, é que alguns consumidores de seguros têm a percepção de que a contratação convencional faz com que paguem por períodos que não necessitam. O seguro sob demanda atende exatamente a essa questão, pois permite a aquisição de uma cobertura temporária, contratada por um período que o cliente precisar, mais flexível para o consumidor.