Notícias

Para corretor, seguro intermitente ainda é pouco conhecido

Dilamar Santini acredita que procura virá com o tempo, já que até as seguradoras ainda engatinham na oferta desse produto.

Da Redação
Corretor Dilamar Santini, da cidade de Francisco Beltrão.

Corretor Dilamar Santini, da cidade de Francisco Beltrão.

O corretor de seguros Dilamar Santolin Santini, da cidade de Francisco Beltrão, no Sudoeste do Paraná, acredita que o seguro intermitente pode decolar com o tempo, mas assegura que hoje ainda é um produto pouco conhecido do público e, também, dos próprios corretores.
 
Para ele, que também é advogado e integra a Comissão de Direito Securitário da OAB-PR em Curitiba, como secretário, ainda falta muita informação sobre o funcionamento do seguro, para que possa ser comercializado com segurança, tanto para o corretor quanto para o segurado.
 
Santini acredita que isso virá com o tempo e o interesse do público, já que hoje até as seguradoras ainda estão engatinhando no processo de oferta desse produto. “Existem muitos pontos obscuros e que precisam de regulamentação”, afirma.
 
Outro ponto destacado pelo corretor é que o intermitente pode atrair mais pessoas interessadas em seguros, que hoje ainda estão fora desse mercado, por inúmeras razões, inclusive custos.
 
Ele também acredita que o público mais jovem pode ser o que irá despertar mais interesse pelo intermitente, já que o mais tradicional prefere a venda consultiva. “A tecnologia facilita, mas é algo mais frio e muitas pessoas preferem tirar as dúvidas olho no olho”.
 
Santini diz que sua corretora registrou crescimento de 29% entre abril e maio, em relação a 2019. A empresa tem matriz em Beltrão e está presente em diversos estados, como Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo e Rio de Janeiro, por meio de franquias, totaliza cerca de 20 mil clientes, mas no momento não possui nenhum seguro intermitente na carteira. “A procura ainda é muito pequena”, justifica.
 
O que há, segundo ele, é um projeto com uma transportadora da região, para contratação de seguros intermitentes de vida para motoristas, durante o período de viagem. “Estamos estudando, analisando essa possibilidade”.